2019
maio
22
Divulgação
Educadores

UCB ajuda na descoberta de novos antibióticos

Professor da UCB publica artigo em revista internacional sobre alternativa no desenvolvimento de novos antibióticos

O grupo de pesquisa do Centro de Análises Proteômicas e Bioquímicas, coordenado pelo Prof. Dr. Octávio L. Franco, do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da Universidade Católica de Brasília (UCB), publicou recentemente um artigo na revista internacional ACS Infectious Diseases, uma das mais conceituadas da área. A pesquisa contou com a participação de outros pesquisadores, como Elizabete Cândido, Marlon Cardoso, Suzana Ribeiro e Karen Oshiro e William Farias Porto, bem como com parceria de pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB).

Prof. Octávio Franco

Além das parcerias nacionais, foram colaboradoras da publicação as instituições internacionais: The University of Queensland (Austrália), Broad Institute of Massachusetts Institute of Technology (MIT) and Harvard (EUA) e University of British Columbia (Canadá).

O trabalho traz a caracterização de um peptídeo desenvolvido através de ferramentas computacionais, onde um fragmento proveniente de uma proteína da arqueobactéria hipertermofílica Pyrobaculum aerophilum foi utilizado como sequência modelo. Esta bactéria foi originalmente isolada de águas marinhas ferventes da praia de Maronti, na Itália.

“O peptídeo desenvolvido a partir dela é capaz de inibir o crescimento de cepas bacterianas multirresistentes, além de comprometer a viabilidade de biofilmes. Ademais, não foram observados efeitos tóxicos frente a células saudáveis provenientes de humanos e camundongos, indicando a segurança desse candidato a fármaco em relação a possíveis efeitos colaterais”, destacou o Prof. Dr. Octávio Franco.

Dentre os achados mais importantes, essa pesquisa mostrou que o peptídeo desenvolvido, quando administrado em uma dose única, reduziu a carga bacteriana em modelo de infecção cutânea em animais em aproximadamente mil vezes quando comparado aos animais não tratados.

Ainda de acordo com o professor Octávio, “a eficácia do tratamento foi observada mesmo após quatro dias. Por fim, experimentos estruturais foram realizados, mostrando que este peptídeo é altamente dinâmico, adotando diferentes conformações estruturais quando em contato com possíveis alvos biológicos. Assim, a molécula estudada foi caracterizada como anti-infectiva e não tóxica à células de mamíferos, representando uma excelente alternativa no desenvolvimento de novos antibióticos”, frisou o pesquisador da UCB.

Publicado por Universidade Católica de Brasília

Notícias Recentes

03 julho 2020
rof. Luiz Teixeira da Costa Nazareth é homenageado, in memoriam.
25 junho 2020
Programa Graduação Santander Universidades lança edital
05 junho 2020
XVII Semana Brasileira da Enfermagem da UCB