2020
mar
20
Atendimento

Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal Católica inicia atividades

O NAF foi criado para ajudar a população com o preenchimento o Imposto de Renda e em dirimir questões tributárias

A Universidade Católica de Brasília (UCB) lançou, no dia 5 de março, o Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal Católica 2020 (NAF Católica). O núcleo já está atendendo, de forma gratuita, todas as quintas-feiras, das 19h30 às 21h30, no Bloco K, sala 005, com o intuito de esclarecer as dúvidas dos contribuintes na hora de preencher a declaração. Com o surto do novo coronavírus e respeitando o decreto do Governo do Distrito Federal, as atividades do NAF estão suspensas presencialmente, funcionando apenas por dúvidas enviadas por e-mail (nafcatolica@p.ucb.br).

No dia do lançamento do NAF, a pró-reitora Acadêmica da Católica, Regina Helena Giannotti, ressaltou que uma das principais finalidades do ensino é promover a associação entre a teoria e a prática. “Por mais que se possa realizar simulações a respeito de casos, tributos, seja com pessoa física ou jurídica, o atendimento presencial, na situação real com a comunidade, oferece uma complementação de formação que certamente vocês poderiam levar mais tempo para adquirir no exercício profissional”, disse. Ainda segundo ela, a Universidade Católica tem a missão, como objetivo fundacional, de estender o conhecimento para a comunidade.

Giannotti explicou que foram criados vários mitos em torno da declaração e do pagamento de tributos na sociedade, dessa forma, também faz parte dos propósitos da Universidade, por meio dos professores e estudantes, disponibilizar a educação fiscal à comunidade. “Precisamos oferecer soluções para os problemas que acontecem no dia a dia da população local. E quando se fala em imposto de renda, têm uma serie de ressalvas. Pois se criou um temor neste sentido. E mais do que prestar um serviço à comunidade, compete à Universidade também promover e fomentar a educação fiscal”, declarou Giannotti.

O coordenador dos Cursos de Administração, Ciências Contábeis e Gestão Pública, Gilberto Josemin, esclareceu que o trabalho do NAF Católica ocorre durante todo o ano com o intuito de esclarecer as dúvidas das pessoas físicas e jurídicas sobre os tributos federais. “Essa é a oportunidade de vivenciar questões bem práticas dos contribuintes. Além disso, os atendimentos irão gerar formulários e teremos um banco de dados que depois poderemos utilizar para subsidiar pesquisas”, disse o coordenador. Josemin informou que os atendimentos do NAF Católica ocorrerão sempre às quartas-feiras, no período noturno, das 19h30 às 21h30, no Câmpus Taguatinga.

Receita Federal

O delegado-adjunto da Receita Federal em Brasília, auditor fiscal Jônio Ibiapina, também participou da cerimônia e apontou que o Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal é um projeto de iniciativa da Receita em âmbito nacional. “A gente sempre pensa na Receia Federal como um fiscalizador ou cobrador e queremos mudar essa percepção que a sociedade tem da Receita, pois nós não prestamos serviço para o governo, mas sim para a sociedade”, afirmou. Ibiapina aconselhou os estudantes a participarem do NAF Católica, inclusive para ajudar a Receita a conscientizar os cidadãos sobre a função social do pagamento de tributos. “Se apropriem dessa oportunidade de participar deste projeto para ter contato com a prática, pois é um grande ganho de conhecimento”, revelou o delegado adjunto da Receita Federal em Brasília.

Já o assessor tributário da Receita Federal no Grupo de Educação Fiscal do DF e chefe do Centro de Atendimento ao Contribuinte da Alfândega de Brasília, Reginaldo Araújo, fez uma exposição sobre a importância do Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal e Educação Fiscal. “Há mais de 30 anos que a Receita Federal criou parcerias com o sistema educacional para ajudar a população brasileira a compreender a função socioeconômica dos tributos”, informou. “O NAF tem como objetivo inicial abrir esse intercâmbio de conhecimentos técnicos científicos entre as instituições de ensino superior e a Receita Federal”, concluiu.

Para ele, é um projeto que só tem benfeitorias. “Todos os envolvidos saem ganhando: o estudante, que é colocado em uma situação real na área fiscal. A comunidade local, principalmente os menos favorecidos ou os que não têm inclusão digital. A Instituição, que tem o seu papel na área da pesquisa e com o projeto abre um leque de criatividade infinita neste sentindo. E a Receita, que consegue desmitificar alguns mitos e mostrar que é uma instituição que olha para os problemas sociais brasileiros com carinho e com investimento de recursos humanos e financeiros”, ressaltou o assessor tributário. Araújo concluiu a palestra lembrando que o Brasil tem um legado histórico, de 930 anos, de governos exploradores e que para se desconstruir alguns conceitos neste sentindo, leva-se um tempo. O representante da Educação Fiscal do DF, Cícero Melo, também participou do encontro e proferiu a palestra sobre Educação Fiscal.

Publicado por Rodrigo Eneas

Notícias Recentes

25 março 2020
Mantenha-se ativo fisicamente durante o surto do coronavírus
24 março 2020
O que é o Coronavírus e como conter a contaminação?
23 março 2020
Porquê idosos são mais vulneráveis ao coronavírus?